Bem vindo à página do Teatro Viriato

Clique aqui para voltar à página principal

Principais opções do site

Imagem do espectáculo em destaque

5678_and_one_1

Informação do espectáculo em destaque

5, 6, 7, 8 AND ONE

16 DEZEMBRO'22

Escolha de idioma

PT  |   EN    
Histórico | Programas
Programa setembro/dezembro 2021
SER E NÃO ESTAR? ESTAR E NÃO SER?

Ser ou não ser,
Estar ou não estar
Ser mas não estar
Estar sem o ser.

Hoje estamos ausentes na presença, ligados à corrente, ao telemóvel, à plataforma digital que nos deixa cumprir o horário de trabalho no local da família e do lazer.
E estamos presentes na ausência, relembrados pelas cadeiras vazias em teatros e cinemas, em jantares e aniversários. Passamos o tempo a pensar que queríamos estar noutro lado, porque longe daqueles que amamos e que estão doentes. Distantes.
Ser e não estar
Estar sem o ser,
Será mais nobre aceitar o infortúnio, resignada.
Ou insurgir-me contra as provocações e os impropérios, contra as injustiças e as desigualdades?
Estaremos mais à altura quando vamos à luta
Ou quando, imóveis, decidimos pôr fim à angústia com o sono, empurrando a dor para o dia seguinte, até à morte?
Dormir, talvez sonhar, com a presença dos ausentes,
Com a ausência de um contágio que não convidámos a entrar no nosso estar.
Ser e não ser
Estar e não estar.

Este trimestre convocamos a sua presença – física, grande, pronta, decidida, de todo o ser – no nosso teatro. Queremos ouvir a plateia, aplaudindo, pateando, discordando, acrescentando, sempre, a tudo o que apresentamos.

Queremos saber a altura e o cheiro do nosso público, como se ri, como entra na sala, se sai a correr ou se fica para conhecer os artistas e dar a sua opinião.

Queremos conversar. Através da arte e através do encontro, antes e depois de cada espetáculo. Porque são as cogitações que constroem os obstáculos e a melancolia, a vontade de escapar ao tumulto da existência através do repouso e da morte. Mas também são, na presença de outro, daquele que de nós difere, o que nos acorda, o que nos faz amenizar o cenário mais negro, o que nos dá coragem para enfrentar todos os males, a irrisão do mundo.

O agravo do opressor, a afronta do orgulhoso, o desprezo do amor, a insolência oficial, as dilações da lei, a impaciência dos tempos, o mérito imerecido dos traidores.

É o pensamento que nos acobarda perante a possibilidade da morte, e é esse medo, na companhia de outros que connosco partilham tantas ansiedades, o que nos conduz à possibilidade da ação.

O teatro é esse lugar onde todas as noites se está para se poder ser, e onde se é tanta coisa, quando não se pode estar em mais lado nenhum.

Ação, Palavra, Missão. É isto a questão!

Nos próximos meses desafiamo-lo a ser nosso espectador regular e ter muita dificuldade nas suas escolhas.

Como escolher entre o manifesto de 14 adolescentes sobre a violência verbal e física exercida sobre as mulheres nas ruas do Chile e a música de TRISTANY ou DINO D’ SANTIAGO que nos misturam as almas, os mundos, as referências e os estados de espírito?

Como escolher entre a MALA VOADORA, que nos conta a história de uma mulher que vê o seu corpo desintegrar-se à velocidade da decomposição do mundo, as inquietações do TEATRO DO VESTIDO ou ainda a história desconhecida e não reconhecida da luta pela dignidade do trabalho doméstico apresentada e esmiuçada na obra de SARA BARROS LEITÃO?

E no cinema, como escolher entre a instalação “Natureza Fantasma”, de Marco Martins, apresentada num espaço alternativo, no Piso -3 do FORUM VISEU, ou toda a programação do VISTACURTA do nosso parceiro Cine Clube de Viseu?

E há quanto tempo não vê um espetáculo dos PRAGA, ou do projeto Dançando com a Diferença ou do coreógrafo PAULO RIBEIRO que celebra com o espetáculo “Segunda 2” os 26 anos da sua Companhia?

E poderíamos continuar, mas na verdade o que desejamos é que escolha, sem pensar duas vezes, comprar uma assinatura e seguir a nossa programação toda até ao final de dezembro. Haverá algum espetáculo que queira mesmo perder?

Venha estar connosco e transformar-se connosco. Venha ser connosco: Ação, Palavra, Missão. E participar, sempre connosco, nas conversas, nos debates, desenhando, connosco, depois de cada espetáculo, propostas futuras que contamos pôr em prática, em cena e em estado de ser, no programa seguinte.

Façamos-nos companhia, para que juntos, possamos acompanhar estes tempos, cuidando deles, cuidando uns dos outros, interpretando--nos, oferecendo-nos novos rumos e novas perspetivas.

Patrícia Portela 
(Direção Artística)

Voltar

Copyright do site

© 2010 Teatro Viriato - Todos os direitos reservados.   |    SUBSCREVA NEWSLETTER   |   política de privacidade   |   mapa do site   |   contactos   |   perguntas frequentes   |   
menu

Símbolo de site acessível

|  

Site desenvolvido por Seara.com