Bem vindo à página do Teatro Viriato

Clique aqui para voltar à página principal

Principais opções do site

Imagem do espectáculo em destaque

matanca

Informação do espectáculo em destaque

A MATANÇA RITUAL DE GORGE MASTROMAS
04 JUL'19

Escolha de idioma

PT  |   EN    
PROGRAMAÇÃO
#
// qui 19h30  /  40 min.

// preços: 5€ (por espetáculo)/ 15€ (programa completo)
// m/ 12 anos
// Espaço criança disponível)

NANT / MOSTRA DE DANÇA
NANT / MOSTRA DE DANÇA | 20 NOV 2014
SOMETHING STILL UNCAPTURED
coreografia e direção artística MARIA RAMOS

Something Still Uncaptured pertence ao ciclo coreográfico Um Certo Grau de Imobilidade, criado pela coreógrafa Maria Ramos, do qual fazem também parte as peças 7pm/Rumour e Nerves Like Nylon. Este ciclo coreográfico surge de dois princípios usados em escultura que interessaram a Maria Ramos quando estudou o trabalho do escultor Antony Gormley: a imobilidade / quietude pode exprimir o seu oposto e a melhor maneira de impulsionar movimento é fazê-lo através de um objeto estático. Neste ciclo de trabalhos a coreógrafa explora a ideia de que uma construção coreográfica pode potenciar movimento se contiver um certo grau de imobilidade. 

Em Something Still Uncaptured, Maria Ramos considera primeiro o espaço “vazio” e nele, o “corpo”, num certo grau de imobilidade, procurando formas de trabalhar o espaço e o corpo enquanto elementos escultóricos. Neste trabalho a coreógrafa usa o espaço cénico, a iluminação e os materiais cenográficos como elementos dramatúrgicos intrínsecos à construção da peça.

Esta peça não tem uma narrativa, no seu sentido mais tradicional. Pode ser vista como uma sucessão de acontecimentos construída como uma paisagem-em-ação: eco, reverberação, frequência, something Still uncaptured.


Something Still Uncaptured estreou a 07 de setembro de 2013, no Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, no âmbito do Ciclo Sala Experimental. 


Conceção coreográfica e direção artística Maria Ramos
Desenho de luz e colaboração Vinny Jones
Interpretação e colaboração Marta Cerqueira e Benedetta Maxia
Som e colaboração Francisco Salgado
Direção técnica Mário Bessa
Diálogos durante o processo de trabalho Angus Balbernie e Martinho R. Fernandes
Parceiros Ciclo Sala Experimental – TMJB e TEMPO – Teatro Municipal de Portimão
Residências artísticas EIRA – produção e realização de espetáculos (PT); O Espaço do Tempo (PT); Espacio LEM (AR) e Teatro Viriato (PT)
Produção, gestão e difusão no contexto do apoio DGArtes Maria Ramos; Tânia M. Guerreiro e TRANSFORMA
Administração circulação em Portugal Tânia M. Guerreiro / PI
Produção, difusão Maria Ramos
Apoio financeiro Governo de Portugal/Secretário de Estado de Cultura – Direção Geral das Artes

Consultar a ficha artística completa (apoios e agradecimentos) no sítio www.mariaramos.net 






Copyright do site

© 2010 Teatro Viriato - Todos os direitos reservados.   |    SUBSCREVA NEWSLETTER   |   política de privacidade   |   mapa do site   |   contactos   |   perguntas frequentes   |   
menu

Símbolo de site acessível

|  

Site desenvolvido por Seara.com